Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

flashback
No comando: Hits Again

Das 00:00 às 04:00

adolescence-attractive-beautiful-573299-copia
No comando: Acorda Alice!

Das 05:00 às 06:00

Matutando
No comando: Matutando

Das 06:00 às 07:00

bom-dia-sol
No comando: Bom dia!

Das 07:00 às 08:00

caf-com-msica-2015
No comando: Café com Música

Das 08:00 às 09:00

brasileirinho2
No comando: Brasileirinho

Das 09:00 às 10:00

take-a-break-600x600
No comando: Break Hour

Das 10:00 às 11:00

sofrencia
No comando: Sofrência Clube

Das 11:00 às 12:00

rango
No comando: Rango

Das 12:00 às 13:00

axe
No comando: Axé!

Das 13:00 às 14:00

mistureba
No comando: Mistureba

Das 14:00 às 15:00

two-clenched-fists-in-air-punching-vector-7710142
No comando: Toca Aqui

Das 15:00 às 16:00

random-png
No comando: Random

Das 16:00 às 17:01

coverland
No comando: Cover Time

Das 17:00 às 18:00

top10-brasil
No comando: Top 10 Brasil

Das 18:00 às 19:00

jorge-e-mateus-especial
No comando: Especial Jorge & Mateus

Das 19:00 às 20:00

open-your-mind
No comando: Open your mind

Das 20:00 às 21:00

novelando2
No comando: Novelando

Das 21:00 às 22:00

mpb2
No comando: MPB Live

Das 22:00 às 23:00

adult-affection-beard-842546
No comando: Love Songs

Das 23:00 às 00:00

Comitê Sul Bahia e Movimento Ilhéus tem jeito participam do Abrace o Marajó

Compartilhe:
Sérgio Rogério, Ministra Damares Alves, Barbara Bastos e Hélia Braga
Sérgio Rogério, Ministra Damares Alves, Barbara Bastos e Hélia Braga

Sérgio Rogério, Ministra Damares Alves, Barbara Bastos e Hélia Braga

O Governo Federal lançou, no dia 03 de março, no Palácio do Planalto, o programa Abrace o Marajó. Gerado no âmbito do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH), o projeto tem o objetivo de melhorar o IDH dos municípios da região a partir da ampliação do alcance e do acesso da população marajoara aos direitos humanos.

O arquipélago abriga cerca de 500 mil pessoas e inclui o município com pior o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do Brasil: Melgaço. Além desse, outros sete dos 16 municípios que compõe a região estão na lista dos 50 piores IDHs do país: Chaves, Bagre, Portel, Anajás, Afuá, Curralinho e Breves.

 Entre os grandes problemas do Marajó que desencadearam o projeto estão os altos índices de exploração sexual e violência contra crianças, adolescentes, juventude, mulheres e pessoas idosas. “Será o nosso primeiro momento de basta de tanto sofrimento, de tantas agruras e de tantas violações de direitos, especialmente da exploração sexual de crianças e a violência doméstica”, afirmou a ministra do MMFDH, Damares Alves.

“Por quanto tempo o povo do Marajó tem permanecido esquecido e negligenciado? Chegou a hora de darmos um basta nisso, de olharmos para os marajoaras e enxergá-los! Vamos todos juntos abraçar o Marajó, abraçar suas necessidades e vencê-las por meio de estratégias e políticas públicas direcionadas”, continuou Damares.

 Além de disso, o programa Abrace o Marajó será uma espécie de laboratório, a primeira etapa para que as mesmas medidas sejam tomadas em outros locais do Brasil.
 “A experiência do Abrace o Marajó é importantíssima para o combate à exploração sexual,  não só na região norte. Estar participando de um momento como esse é fundamental para levarmos as ações desse programa ao nosso estado, a nossa região. É urgente erradicar as violações aos direitos humanos e abusos sexuais recorrentes nos quatro cantos do Brasil” afirmou Sérgio Rogério, Diretor Executivo do Movimento Ilhéus Tem Jeito e do Comitê Sul Bahia.

A cerimônia de lançamento contou com a presença do Presidente Jair Bolsonaro, da primeira-dama Michele, do Ministro da Justiça e Segurança Pública Sérgio Moro, além de outras autoridades, empresários e representantes de vários estados.

Sérgio Rogério e Tomé Abduch

Sérgio Rogério e Tomé Abduch

“Na Bahia, 65% dos municípios possui classificação com baixo IDH. Nessa situação males como a exploração sexual acabam se proliferando mais facilmente. Precisamos unir forças, em ações conjuntas, para levar a todas essas cidades, as condições mínimas para que seus habitantes possam viver com mais dignidade.” – esclarece Sérgio Rogério.

Para a execução do “Abrace o Marajó” poderão ser firmados convênios, termos de compromisso, acordos de cooperação, termos de execução descentralizada, ajustes ou outros instrumentos congêneres, com órgãos e entidades da administração pública federal, estadual, distrital e municipal, bem como com entidades privadas.

Barbara Bastos, Hélia Braga e a Primeira-dama Michele Bolsonaro

Barbara Bastos, Hélia Braga e a Primeira-dama Michele Bolsonaro

“Esse é o caminho para novas ações, não só sociais, como também de empreendedorismo, geração de emprego e renda, sustentabilidade local. O que o ministério dos Direitos Humanos propôs é uma união de setores em prol do Brasil. É disso que precisamos para mudar o nosso país.” – conclui Sérgio Rogério.

 

Deixe seu comentário: